BUSCAR POR:
Atendimento
(32) 3532-4279
Clínica e Cirugia de Olhos - Drº Paulo Larocc

Clínica e Cirugia de Olhos - Drº Paulo Larocca

Estrabismo-Artigo

Aspectos psicológicos levando em consideração a imagem corporal  inerentes ao paciente cirúrgico com estrabismo convergente.

Paulo Larocca *

 

 

Resumo.

 

Introdução:  Imagem corporal é aquela que fazemos de nosso corpo. Está estruturalizada em nossa mente no contato do individuo consigo mesmo e com o mundo que o rodeia. O corpo pode ser considerado, em sua construção como unidade, destacando-se massa pesada e orifícios anatômicos na qual inclui os olhos, boca meato urinário, anus e orifício vulvar  que constituem a zona mais sensíveis do corpo,  com sua psicologia específica. Os órgãos destas aberturas  levam o indivíduo a ter contato com o mundo exterior e com isso procede-se  a descoberta do corpo. E não há imagem corporal sem personalidade, pois ambas mantém relação íntima e especifica.

 

 

Objetivo: Apresentar os aspectos psicológicos, levando em consideração a imagem corporal , após a  correção cirúrgica dos pacientes com estrabismo convergente .

 

Local: Hospital São Vicente de Paulo  

 

Métodos: Neste Estudo Foram incluídos 17 pacientes submetidos à cirurgia do estrabismo convergente no período entre junho de 1997 a fevereiro de 2005 e a satisfação em relação à melhora da imagem corporal foi realizada através de um questionário baseado na escala hedônica utilizada em experimentos de analise sensorial. A escala hedônica e o resultado são mostrados abaixo.

   Os pacientes incluídos apresentavam estrabismo convergente (Esotropia) sem pouco ou nenhum componente vertical e, portanto, as cirurgias foram realizadas pelo método recuo-resseção dos músculos retos horizontais.

     Todos os pacientes foram operados pelo mesmo cirurgião (PL), sendo que nenhum deles tinham sido operados anteriormente, não se tratando portando de nenhum caso de reoperação.

    Para o planejamento cirúrgico todos os pacientes foram submetidos a teste ortóptico conforme consta na tabela abaixo.

    Neste presente estudo não levamos em consideração todo o ajustamento sensorial e motor induzido pela falta de alinhamento dos olhos.

 

Resultados:  A maior parte dos pacientes 58.82 %  relataram que melhorou muito a imagem  corporal

 Já 29.41% avaliaram como melhorou moderadamente. Entretanto 11.76% dos pacientes acharam que não melhorou moderadamente conforme gráfico, mostrado com o resultado da escala hedônica. Os resultados apresentados foram independentes da faixa etária e também foi percebido que foram relatados com certa euforia principalmente por parte dos pais das crianças e adolescentes operados. Segundo os pais seus  filhos apresentaram uma mudança importante no comportamento e na socialização, se interagindo melhor com os colegas tanto na escola quanto na comunidade em geral.  Agora aquele grave “defeito físico”  ou aquele “complexo”   relacionado à falta de alinhamentos dos olhos não existe mais.

  Em relação as complicações tivemos  casos de subcorreção, inflamação conjuntival, diplopia e  ressecçção parcial iatrogênica do reto lateral. As complicações ocorridas estão de acordo com a literatura pesquisada e não interferiram no resultado final esperado,exceto o paciente com perda parcial do reto lateral no qual ocorreu uma sub correção importante.

 

 

Conclusão : O estrabismo convergente é  uma deformidade séria situada em uma região bem visível da face e portando uma região nobre de grande importância no relacionamento humano e que sua cirurgia trás benéficas repercussões na imagem corporal e conseqüentemente na personalidade, na autoestima e nos campos  emocionais e psicológicos traduzindo em uma melhor qualidade de vida de nossos pacientes.

Palavras chaves: Imagem corporal e  estrabismo convergente.

 

     *Médico oftalmologista com título de especialista emitido pelo CBO/ AMB. Membro do Centro Brasileiro de Estrabismo ( CBE)

 

Abstract

 

Inherent psychological aspects to the surgical patient with convergent strabismus

Paulo Larocca*

 

Purpose: To present the psychological aspects, taking in consideration the corporal image, after the surgical correction of the patients with convergent  strabismus.

 

Place:  São Vicente de Paulo  Hospital  .

 

Methods:  In this Study Had been enclosed 17 patients submitted to the surgery of the convergent strabismus in the period between June of 1997 the February of 2005 and the satisfaction in relation to the improvement of the corporal image was carried through a questioaire based on the used scale in experiments of analyzes sensorial.  The scale and the result are shown below.  The enclosed patients presented convergent strabismus (Esotropia) without little or no vertical component and, therefore, the surgeries had been carried through by the method recoil-ressection of the horizontal straight muscles. 

         All the patients had been operated by the same surgeon (PL), being that no one of them had been operated previously, if not treating, therefore of none repeated surgery case. For the surgical planning all the patients had been submitted the ocular motility test as consist below in the table.  In this present study we all do not take in consideration induced the sensorial and motor adjustment for the lack of alignment of the eyes.

 

Results:  Most of the patients had told that the corporal image improved very .

    But 29,41% very had evaluated as it improved moderately. However 11,76% of the patients had found that it did not improve moderately as graphical, shown with the result of the scale. The presented results had been independent of the age and also it was perceived that they had been told with certain euphoria mainly on the part of the parents of the children and operated adolescents. According to parents their children had presented an important change in the behavior and the socialization, if interacting better with the colleagues in such a way in the school how much in the community in general.  Now that serious "physical defect" or that "related complex" to the lack of alignments of the eyes does not exist more.   

     In relation the complications we had cases of subcorreção, conjuntival, diplopia inflammation and iatrogênica partial ressecção of the lateral rectum.    The occurred complications are in accordance with searched literature and they had not intervened with the waited final result, except the patient with average loss of the lateral rectum in which occurred one sub important correction

 

Conclusion: The convergent strabismus is a situated serious deformity in a noble region of great importance in the human relationship and that the surgery backwards beneficial repercussions in the corporal image and consequently in the personality, self-esteem and the emotional and psychological fields translating one better quality of life of our patients.

 

Words keys: Corporal image and convergent strabismus.

 

* Ophthalmologist doctor with heading of specialist emitted for CBO/AMB. Member of the Brazilian Center of Strabismus (CBE)

 

 

 

Introdução

 

          Imagem corporal é aquela que fazemos de nosso corpo. Está estruturalizada em nossa mente no contato do individuo consigo mesmo e com o mundo que o rodeia. É nossa visão global que delineia o nosso corpo, em relação á situação do mundo externo, portanto não é mera sensação ou imaginação. Sob o primado do inconsciente, entram, em sua formação, contribuições anatômicas,fisiológicas, neurológicas,sociológicas, etc.

O corpo pode ser considerado, em sua construção, como unidade, destacando-se massa pesada com orifícios, cavidades e protuberâncias, desenvolvidas em superfície e contorno . Os orifícios anatômicos (na qual inclui os olhos, boca, ânus, meato urinário e orifício vulvar ) constituem a zona mais sensíveis do corpo, com sua psicologia especifica . Os órgãos portadores destas aberturas levam o individuo a ter contado com o mundo exterior e com isso procede-se a descoberta do corpo.  E não há imagem corporal sem personalidade, pois ambas mantêm relação intima e especifica.

 

           O estrabismo é um termo usado para a situação em que não existe um perfeito alinhamento dos olhos. Em condições normais, a imagem de um objeto qualquer recai sobre a fóvea de cada olho. Quando os olhos estão em tal posição em que a imagem cai apenas sobre uma fóvea de apenas um dos olhos, o segundo olho está desviado e o estrabismo está presente e este grau de desvio é medido pelo ângulo formado pelos eixos visuais dos dois olhos.

Como vimos acima os olhos são “aberturas” anatômicas que levam o contato do paciente com o mundo exterior, e podemos então imaginar as implicações no âmbito psicológico que acarretam as pessoas que apresentam um desvio tão aparente como o estrabismo. 

Escolhemos o estrabismo convergente ( esotropia -ET ) por ser o tipo mais freqüentemente encontrado em nosso meio e com as quais o autor apresenta maior experiência cirúrgica, mas logicamente as repercussões benéficas da cirurgia na imagem corporal são válidas também para outras formas de estrabismo.AS ET tem várias características como história familiar, idade e tipo de aparecimento, tipo do desvio, fixação (é sempre o mesmo que olho que desvia? estrabismo alternante ?) e baseado nestas características podemos de forma simples e didática  classifica-lo em :

1)Epicanthus ou pseudo-esotropia - que é uma formação palpebral simulando um estrabismo convergente mais notado quando a criança olha de lado (nas posições de látero-versões ). A dobra saliente do canto do olho que pode ser uma tendência assimétrica para cobrir a conjuntiva bulbar nasal do olho em adução, torna às vezes os olhos da criança aparentemente desviados, quando na verdade nada existe.Muitas das vezes torna–se complicado explicar e convencer os pais que se trata apenas de uma dobra palpebral exacerbada.

 

2)Esotropia congênita - Condição que surge com o nascimento, porém na estrabologia este termo não é tão restrito assim e quer dizer uma ET que apareceu cedo, ou antes, dos 6 meses.(um termo mais adequado e feliz seria  portanto Esotropia Infantil)

 

3)Esotropia adquirida - Pode ser acomodativa ,parcialmente acomodativa e não acomodativa.

 

3.1) Esotropia acomodativa - Cerca de um terço dos casos de esotropia enquadra-se neste grupo. Estes pacientes são usualmente hipermétropes de duas ou mais dioptrias.A criança diante de uma ET acomodativa se vê em face de um dilema: Ela precisa acomodar para poder ver claramente , e o resultado disso é um desvio convergente dos eixos visuais, e terá uma confusão visual (ambas as fóveas fixando objetos diferentes no espaço) e diplopia (um mesmo objeto no espaço visto por áreas retinianas não correspondentes , ou seja visto duplamente). Para ser ver livre dessa situação desconfortante, a criança precisa desistir da sua acomodação  e em vista disso, sua visão ficará embaçada. Mas ao contrário se a criança insistir em acomodar haverá uma constante esotropia.

 

3.2)Esotropia parcialmente acomodativa - O estrabismo convergente se manifesta em qualquer circunstancia mas  aumenta com a acomodação.

Ou seja mesmo com a correção total ainda sem tem o desvio convergente.Nestes casos teremos de ter cuidado na hora do planejamento cirúrgico em analisar o componente não acomodativo.

 

3.3) Esotropia  não acomodativa - Corresponde a mais de cinqüenta por cento dos casos de esotropia .  O ângulo do desvio é o mesmo em todas as direções e praticamente sem influencias da acomodação e, portanto, não depende de músculos pareticos e nem de erros refracionais. Nestes casos de estrabismo a história familiar tem um papel preponderante pois com freqüência a transmissão tem caráter autossômico dominante. Por isso podemos encontrar irmãos com desvios semelhantes.

 

4) Microtropia – Também conhecida como síndrome de monofixação. Trata-se de uma esotropia de pequeno ângulo não maior que oito prismas, mas com correspondência retiniana anômala e pequena ambliopia do olho acometido. Ela pode ser primaria ou secundaria a uma correção cirúrgica de um estrabismo convergente de grande dioptrias.

 

Métodos

 

    Neste EstudoForam incluídos 17 pacientes submetidos à cirurgia do estrabismo convergente no período entre junho de 1997 a fevereiro de 2005 e a satisfação em relação à melhora da imagem corporal foi realizada através de um questionário baseado na escala hedônica utilizada em experimentos de analise sensorial. A escala hedônica e o resultado são mostrados abaixo.

   Os pacientes incluídos apresentavam estrabismo convergente (Esotropia) sem pouco ou nenhum componente vertical e, portanto, as cirurgias foram realizadas pelo método recuo-resseção dos músculos retos horizontais.

     Todos os pacientes foram operados pelo mesmo cirurgião (PL), sendo que nenhum deles tinham sido operados anteriormente, não se tratando portando de nenhum caso de reoperação.

    Para o planejamento cirúrgico todos os pacientes foram submetidos a teste ortóptico conforme consta na tabela abaixo.

    Neste presente estudo não levamos em consideração todo o ajustamento sensorial e motor induzido pela falta de alinhamento dos olhos. Pois como sabemos, a principio todo estrábico deveria ter diplopia, porque sempre serão estimulados pontos não correspondentes da retina, mas a natureza se defende disto anulando a falsa imagem como uma “supressão fisiológica” da imagem do olho desviado. Supressão esta que progredi até produzir acentuada deficiência de visão neste olho denominada AMBLIOPIA que implicará em perda da visão binocular e portando da estereopsia.  Considero tal conhecimento de fundamental importância para todos nós médicos oftalmologistas que lidam com estas crianças, pois sabemos que o futuro destes pequenos paciente pode ser severamente influenciado caso uma ambliopia se instale .  Como poderia termos um exímio cirurgião especialista por exemplo em determinado micro- procedimentos  como em cirurgia cardíaca, neurológica, ortopédicas e até mesmos nas nossas microcirurgias oftalmológicas  , ou um motorista que enfrentam o dia a dia de nossas estradas, necessitando de fazer ultrapassagens de veículos  ou um operário de fábricas ou  serralharias e diversas outras profissões sem uma adequada visão binocular e estereopsia. ?  Por isso  se a correção do estrabismo sendo precoce  podemos evitar a ambliopia e alias todo o tratamento estrabológico deve , primariamente , centrar-se neste objetivo. Se tardia , a correção terá tão somente um alcance estético , que como sabemos de muita importância no bem estar de nossos pacientes principalmente no estagio da formação da imagem corporal e de sua personalidade  em que se encontra o paciente mas fora de nossas possibilidades de qualquer tentativa de recuperação funcional. È importante pois submeter precocemente a criança a um exame oftalmológico completo que ira permitir diagnosticar e tratar  em um tempo hábil um eventual estrabismo e evitar a instalação da ambliopia e de todas as suas conseqüências  .

 

Pacientes

Idade

Cover  teste

Luzes Worth

Hirschberg

Krimsky

Cover prismatico alterante

PJST

5 anos

ET altern

4 luzes

45 graus

90 prismas

80 prismas

DAGM

40 anos

ET altern

4 luzes

45 graus

90 prismas

80 prismas

ARCA

17 anos

Et OD

4 luzes (2 verdes x 2 vermelhas)

15 graus

35 prismas

40 prismas

CSM

14 anos

ET OD

3 verdes (supressão OD)

30 graus

50 prismas

55 prismas.

JB

14 anos

ET altern

5 luzes (3 verdes x 2 vermelhas).

30 graus.

60 prismas

L 60 p

P 65 p

ABO

4 anos

ET OE

2 vermelhas (supressão OE)

30 graus

50 prismas

L 35 p

P 55 p

CMVS

27 anos

ET OD

3 verdes (supressão OD)

15 graus

40 prismas

L 40 p

P 50 p

DAA

5 anos

ET altern

4 luzes (3  verdes x 1 vermelha)

30 graus

60 prismas

80 prismas

APS

3 a 

9 meses

ET altern

Não informa

45 graus

90 prismas

80 prismas

ICF

25 anos.

ET altern

4 luzes (3 verdes e 1 vermelha)

30 graus

60 prismas

65 prismas

VCV

15 anos

ET

4 luzes

45 graus

90 prismas

65 prismas

LBC

19 anos

ET

4 luzes

45 graus

90 prismas

65 prismas

DSM

8 anos a

 10 meses

ET alt

4 luzes

45 graus

70 prismas

L 75 p

P 65 p

LPI

 

ET alt

3 verdes

2   vermelhas

15 graus

30 prismas

L 35 p

P 40 p

 

JAS

14 anos

ET alt OE

5 luzes (3 verdes e 2 vermelhos diplopia hamônia

15 graus

35 prismas

L 45 p

P 40 p

Lep 35 p

SLF

 

ET

4 luzes

30 graus

60 prismas

65 prismas

ACP

24 anos

ET OD

3 verdes

60 graus

120 p

110 p

Tabela 1: Testes ortópticos usados para o planejamento cirúrgico .

 

 

Marque a posição da escala que melhor reflita seu julgamento.

(  ) Melhorou muito

(  ) Melhorou moderadamente

(  ) Indiferente

(  ) Não melhorou moderadamente

(  ) Não melhorou muito.

 

Tabela 2: Escala hedônica .

 

 

 

 

Resultados

 

 

 A maior parte dos pacientes 58.82 %  relataram que melhorou muito a imagem  corporal

 Já 29.41% avaliaram como melhorou moderadamente. Entretanto 11.76% dos pacientes acharam que não melhorou moderadamente conforme gráfico, mostrado com o resultado da escala hedônica. Os resultados apresentados foram independentes da faixa etária e também foi percebido que foram relatados com certa euforia principalmente por parte dos pais das crianças e adolescentes operados. Segundo os pais seus  filhos apresentaram uma mudança importante no comportamento e na socialização, se interagindo melhor com os colegas tanto na escola quanto na comunidade em geral.  Agora aquele grave “defeito físico”  ou aquele “complexo”   relacionado à falta de alinhamentos dos olhos não existe mais.

  Em relação as complicações tivemos  casos de subcorreção, inflamação conjuntival, diplopia e  ressecçção parcial iatrogênica do reto lateral. As complicações ocorridas estão de acordo com a literatura pesquisada e não interferiram no resultado final esperado,exceto o paciente com perda parcial do reto lateral no qual ocorreu uma sub correção importante.

 

 

 Conclusão

 

O Estrabismo convergente é uma deformidade séria e por estar situada em uma região bem visível da face, traz importantes alterações psicológicas e emocionais em seus portadores.    A cirurgia de estrabismo traz , portanto,benéficas repercussões na imagem corporal e conseqüentemente na personalidade que em fim traduzirá em uma melhor qualidade de vida de nossos pacientes.

 

Agradecimentos:

A Ortoptista Mariane Carneiro Larocca Almeida pela realização da tabela com os dados dos testes ortópticos e a Psicóloga Meiry Aparecida Abrahão pela orientação e referências bibliográficas da psicologia. Ao professor Flávio Bittencourt, mestre em estatística e experimentação pelo apoio dos dados estatísticos.

 

 

 

Endereço para Correspondência.

 

Dr Paulo Antonio Carneiro Larocca.

Rua Monsenhor Paiva Campos, 161

Centro Ubá –Minas Gerais  CEP  36500.000

Telefones : (32) 3532-4279 / (32) 99851519

E-mail: larocca@uai.com.br

 

Referências Bibliográficas

1)      Filho,Júlio de Mello. Psicossomática hoje. Editora Artes Médicas.Imagem corporal Helládio Francisco Capsiano  pág 179 a 192.

2)      Capsiano,H. Afetos na enfermidade psicossomática V.1 Associação Brasileira de Medicina psicossomática, ll encontro Argentino-Brasileiro de Méd  Psicossomática.. São Paulo 1978

3)      Petrucci, Marta. Classificação dos estrabismos convergentes. Trabalho apresentado na mesa redonda sobre estrabismo convergente do ponto de vista ortóptico na 4ª jornada Estrabológica promovida pelo Centro Brasileiro de Estrabismo –outubro de 1972.

4)      Vaughan, Daniel 1921 Oftalmologia geral/ Daniel Vaughan, Taylor Asbury; tradução Renato de Toledo; Ilustrada por Laurel V. Schaubert- 2. ed- São Paulo: Atheneu, 1983

5)      Ensaios sobre a problemática da cegueira Prevenção- Recuperação- Reabilitação . Ed Fundação Hilton Rocha. Coordenadores Hilton Rocha e Elisabeto Ribeiro Gonçalves. Colaboradores Victor Johnson e Kátia Oliveira  Belo Horizonte 1987

6)      Souza-Dias, Carlos R. Estrabismo/ Carlos R.Souza – Dias- Rio de Janeiro: Cultura Médica ; São Paulo: CIBA Vision : CBO, 1999 – (Manuais Básicos/ CBO: 17)

7)      Burke, JP Leach CM; Davis H (Ad) (Ti)Tìtulo:Psychosocial implications of strabismus surgery in adults.(So) Fonte:J Pediatr Ophthalmol Strabismus;34(3):159-64,1997May-Jun.(Is)ISSN:0191-3913(Cp) País de publicação:UNITED STATES (La)Idioma:eng (Ab)

8)      Autor:Apt L; Beckwitt MC; Isenberg S(Ti)Tìtulo: Emotional aspets of hospitalization of children for strabismus surgey.(So)Fonte:Ann Opthalmol;6(1):11-20,1974 Jan.(Is)ISSN:0003-4886(Cp)Paísde publicação:UNITED STATES(La)Idioma:eng

 

 

 

 

 

 

 

 

Endereço: Rua Monsenhor Paiva Campos, N°110 Centro - Ubá - Minas Gerais - CEP 36500-000
DV9 Soluções Digitais

DV9 Soluções Digitais

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. NÃO devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação.
Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CFM.
There were watch makers taking apart and assembling trademark movements of replica watches uk their manufactures, engravers creating special components as well as enamel dial painters and replica watches strap-makers. So let's begin by discussing this blend of fine watch exhibitions and a few of watch making's most challenging crafts. We will start with the watchmakers, the men who were working with unbelievable discipline and diligence in this noisy and replica watches tumbling environment. I am certain that every watch enthusiast will be familiar with that particular mixture of rolex replica sale fascination, curiosity and amazement generated by the sight of a fine movement seen through a sapphire case back. At SalonQP some highly replica watches uk acknowledged movement manufacturing brands allowed visitors to get a much better view than any transparent case back would allow as they presented uncased examples of some of replica watches uk their most remarkable calibers.